Categoria: Blog

Blog

Como a morte é retratada nas artes

Postado 25 de setembro de 2015

A única certeza da vida é a morte. Essa é uma frase que nos faz questionar a nossa própria existência, pois de um lado está a garantia de que a nossa hora chegará mais cedo ou mais tarde, enquanto que, de outro lado, está a dúvida do que isso realmente significa em um âmbito físico e espiritual. Para onde iremos? Qual será a sensação de morrer? Essas dúvidas, que iremos solucionar somente após a nossa própria morte, é o que gera tantas ilusões, ideias e formas de retratação de algo tão natural e ao mesmo tempo tão intangível. Trazemos abaixo as seis principais formas como a morte é retratada nas artes: A morte como tristeza e sofrimento Muitas vezes a morte é retratada como um sofrimento, uma perda, algo triste e depressivo. Alguns exemplos dessa visão nas artes são obras…

Blog

Pensando a morte em vida: um guia sobre a finitude

Postado 17 de setembro de 2015

[caption id="attachment_15348" align="aligncenter" width="416"] Clique na imagem para fazer o download do guia.[/caption] O Memorial Parque das Cerejeiras trabalha fortemente na assistência ao enlutado através de canais de expressão da dor, guias impressos, palestras com psicólogas e apoio religioso. Avançando no apoio aos clientes e com o propósito de sensibilizar, de garantir a dignidade na hora da partida, desenvolvemos o guia “Pensando a morte em vida: um guia sobre a finitude”. Com ele, é possível encontrar orientações sobre como encarar a despedida, além das melhores formas de pensar, ouvir e conversar com adultos e crianças sobre esse tema sempre tão difícil para todos.

Blog

7 passos para amenizar a dor da perda de entes queridos

Postado 24 de agosto de 2015

A morte é algo inevitável. Uma das certezas que possuímos na vida, é que todos nós partiremos um dia. Perder uma pessoa querida é muito difícil e não existe um modo de estar preparado para dizer adeus a quem amamos. Para você que quer mais informações sobre como amenizar a dor da perda de pessoas queridas, nós preparamos esse texto. (mais…)

Blog

Responsabilidade ambiental do Cemitério Memorial Parque das Cerejeiras

Postado 4 de maio de 2015

Cada vez mais, a discussão a respeito do impacto das ações humanas na natureza vem tomando uma enorme relevância. E nós do Cemitério Memorial Parque das Cerejeiras também damos total importância para tal assunto, afinal de contas, lidamos diretamente com o meio ambiente e o ciclo natural da vida. Mas, quais são os impactos causados por um cemitério? Essa é uma questão polêmica. Muitas pessoas dizem que o líquido de coliquação, proveniente da decomposição de corpos, pode infiltrar no solo e contaminar lençóis freáticos. Há também quem defende que a decomposição é um processo natural benéfico ao meio ambiente. Diante tudo isso, podemos dizer que quem realmente polui são os vivos, que geram cerca de 1,5 kg de lixo por dia, e não os mortos, que em processo de decomposição geram em torno de 20 litros de material orgânico durante…

Blog

O significado de cada tipo de flor em uma Coroa de Flores

Postado 3 de março de 2015

O hábito de levar flores ao cemitério para homenagear os mortos vem sendo praticado há muitos e muitos anos e simboliza, além de um belo presente, uma forma de expressar carinho e gratidão por alguém que, de certa forma, marcou as nossas vidas. As coroas de flores são usadas em funerais desde o tempo da Grécia Antiga, e representam círculo de vida eterna. As floriculturas que as ofertam, combinam uma ou mais espécies de flores para tornar as coroas ainda mais belas. As flores, de uma maneira geral, simbolizam o ciclo da vida. Elas são parte de um complexo sistema vital. Cientificamente, elas são a parte reprodutora das plantas e têm uma grande importância para o equilíbrio na natureza. Elas representam um recomeço, uma vida nova, pois a partir delas é que nascem outras plantes e outras formas de vida.…

Blog

4 maneiras de entender a morte segundo as religiões

Postado 27 de fevereiro de 2015

Uma coisa que todas as pessoas podem ter certeza em suas vidas, é que um dia ela vai acabar. Como diz um velho ditado: “para morrer, basta estar vivo”. A morte é um assunto que, quase sempre, é tratado como um tabu. Tal atitude é totalmente compreensível, já que o evento da morte pode tirar pessoas muito queridas de perto da gente, e vice e versa. Cabe a nós sabermos lidar com essa situação e compreender que a morte é um acontecimento natural da existência humana. A morte pode ser vista de diversas maneiras pelas pessoas, e a religião é o principal fator que influencia na maneira em que as pessoas lidam com a perda de alguém e a finitude da vida. Listamos, de acordo com quatro religiões, as diferentes maneiras que as pessoas encaram esse acontecimento: Catolicismo Para o…

Blog

O Significado do Dia dos Finados

Postado 27 de fevereiro de 2015

De acordo com um grande número de estudiosos, o ato de venerar os falecidos teve origem em meados do Século I. Naquela época, os Cristãos costumavam visitar os túmulos dos mártires nas catacumbas para rezar pelos que morreram sem martírio. Já a partir do século V, a igreja decidiu destinar uma data específica para que o que hoje nós conhecemos como de Dia dos Finados. Ainda assim, a data para o Dia dos Finados só foi realmente estabelecida no século XIII. A escolha da data do dia 02 de novembro leva em conta que no dia anterior, dia 1º de novembro, é celebrado o “Dia de todos os Santos” e, nesta ocasião, são prestadas homenagens a todos que morreram em estado de graça, mas que não receberam a canonização. Já no dia 02, é o momento de relembrar os entes…

Blog

Qual a origem dos cemitérios?

Postado 4 de fevereiro de 2015

Desde a pré-história, de acordo com registros arqueológicos, existe o hábito de enterrar os mortos, ou cobri-los com pedras. Entretanto as primeiras edificações para armazenar os mortos na antiguidade foram às catacumbas cristãs. Eram nas paredes das galerias subterrâneas, que se faziam as tumbas para enterrar os mortos. Com o passar dos anos os cemitérios começaram a ser construídos nas áreas internas das igrejas ou próximas a ela. A partir do séc. XVIII criou-se um sério problema com a falta de espaço para os sepultamentos nessas áreas, causando poluição e doenças mortais, o que tornava altamente perigosas as proximidades dos templos. Uma lei inglesa veio regular os sepultamentos, passando estes a serem feitos ao ar livre e longe do perímetro urbano e se aproximando do conceito de atual da palavra cemitério. Cemitérios mais famosos do mundo A pratica de enterrar…