• Arte no Parque
  • Arte no Parque
  • Arte no Parque
  • Arte no Parque
  • Arte no Parque
  • Arte no Parque
  • Arte no Parque

Hugo França

“Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”. Essa famosa frase do químico francês Antoine Lavoisier explica, de maneira eficaz, os trabalhos artísticos que fazem parte do Memorial Parque das Cerejeiras, desde 2012.

Trata-se das obras elaboradas pelo designer Hugo França, que transforma a beleza das raízes e dos troncos em esculturas inovadoras. O artista cria mobiliários a partir de árvores condenadas ou caídas naturalmente e já marcou presença nos parques do Ibirapuera, Burle Marx (SP), no Instituto Inhotim (MG) e até em Nova York, nos EUA.

A nobre matéria-prima é a inspiração do designer. As formas, os buracos, rachaduras e marcas de queimadura que as árvores apresentam são incorporadas na criação de suas obras.

A convite do Memorial Parque das Cerejeiras, Hugo França reaproveitou eucaliptos do próprio Memorial, que foram transformados em 18 mobiliários e duas esculturas, elementos que voltaram ao convívio natural pelas mãos do escultor e que, agora, funcionam como um refúgio para quem deseja refletir e ficar em sintonia com a natureza.

Alê Bufe

Para compor a beleza do Memorial Parque das Cerejeiras e deixar o espaço ainda mais contemplativo, a artista plástica Alê Bufe desenvolveu duas obras de arte.

A escultura “Árvore”, localizada na Alameda das Palmeiras Imperiais, representa a vida. Os cortes da peça projetam sombras de acordo com a posição do sol, criando imagens no chão que podem ser apreciadas pelos visitantes. Além disso, a obra possui uma curvatura que se transforma em banco. Confeccionada a partir dos retalhos da escultura “Árvore”, a obra “Ciclo” mantém a estrutura da espiral de Fibonacci. Instalada sobre espelho d’água, sugere o movimento infinito, o nascimento, a purificação e a passagem para um nova vida.

Todo o projeto foi criado a partir de desenhos que a artista pintou com os dedos, uma técnica que desenvolveu durante a carreira e que, hoje, é uma das suas principais características. Alê Bufe utiliza sua técnica para trabalhar com o temas relacionados à natureza, principalmente árvores, explorando toda a riqueza de formas e cores que esse contexto pode proporcionar.

A artista, formada em Artes Plásticas, na FAAP, e Desenho Industrial pela Belas Artes, também trabalha com xilogravuras, monotipias e gravuras em metal.

Acompanhe, abaixo, o processo criativo da obra “Árvore”.

DHI 2013 Placa Arvore v3 Ale Arte no Parque


Pedro Vaz

20160813 171105 Arte no Parque

As belas paisagens do Memorial Parque das Cerejeiras não inspiram somente os seus frequentadores. Em sua passagem pelo Brasil, o renomado artista nascido em Moçambique e erradicado em Portugal, Pedro Vaz, foi convidado a fazer uma visita às nossas instalações e ficou encantado com a vista do Parque Estadual do Guarapiranga. A natureza rica desse panorama estimulou o pintor a criar um de seus quadros

“Acho que, se vivemos em um mundo onde as pessoas têm uma vivência menos direta com a natureza, é possivel que, por causa dessa privação, elas não saibam como responder à natureza. Talvez, tenhamos perdido um pouco do instinto ou conhecimento que era parte da experiência dos nossos ancestrais; somos menos capazes de nos indentificarmos com ela”, comenta Pedro Vaz.

Bosque das Palavras

bosque Arte no Parque